Ida do homem a Lua em 2024 poderá sair do Brasil
ESPECIAL

Ida do homem a Lua em 2024 poderá sair do Brasil

Veja as parceiras da NASA para o projeto Moon to Mars - Ida do homem a Lua em 2024 poderá sair do Brasil
Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais

A probabilidade é pequena mas não é descartada. Após o Senado brasileiro aprovar o acordo entre Brasil e EUA para uso da base de Alcântara por 20 anos. Vale lembrar que o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) é situado na latitude 2°18’ Sul da Linha do Equador, no estado brasileiro do Maranhão, no qual essa localização privilegiada corresponde a uma rotação de 1.660 km/h.

Veja as parceiras da NASA para o projeto Moon to Mars5 1 - Ida do homem a Lua em 2024 poderá sair do Brasil

Agora… Imagine você sentado em um palanque, comendo pipoca e filmando a ida da primeira mulher a Lua? Sim, mulher! E detalhe no Brasil! Parece coisa de filme. É difícil mas não impossível. A NASA não pronunciou nada a respeito, até mesmo porque eles recentemente lançaram a lista de parceiros para o projeto “Moon to Mars” (link), a prioridade é Miami no Cabo Canaveral, porém tudo vai depender dos custos. A base fica no Centro Espacial John F. Kennedy (KSC) é o porto espacial de lançamento de veículos espaciais da NASA localizado no Cabo Canaveral, na Ilha Merritt, nos Estados Unidos, o local se localiza entre Miami e Jacksonville, foi de lá que saiu o Apollo XI.

Inclusive, é mais fácil ver a NASA utilizando a base brasileira para a segunda ida do homem a lua em 2024 do que o sonho de muitos brasileiros de ver a SPACE X por exemplo no BRF ou no Facon Heavy indo para Marte de Alcântara. Mas é importante ressaltar que a segunda opção não é nada impossível também. E até mesmo visionários bilionários como o homem mais rico do mundo, o Jeff Bezos da Blue Origin já gostaram da ideia e ficaram de olho no Brasil.

Ida do homem a Lua em 2024 poderá sair do Brasil4 - Ida do homem a Lua em 2024 poderá sair do Brasil

O grande interesse dos norte americanos é sua utilização o mais rápido possível. Mas nem tudo são flores: Para isso Brasil e EUA precisarão melhorar a infraestrutura da base de Alcântara, o quanto antes. Segundo o Departamento de Estado dos EUA, as operações na base de Alcântara, no Maranhão, poderão gerar uma economia de combustível/peso e peças/peso para eles de 260 bilhões de dólares em um ano.

Ida do homem a Lua em 2024 poderá sair do Brasil 

Veja as parceiras da NASA para o projeto Moon to Mars2 - Ida do homem a Lua em 2024 poderá sair do Brasil

Primeiros passos

No entanto, nem tudo é o que parece. Pois não ficou exemplificado pelo Governo Federal, nem pela parte da mídia e nem pelo Senado, ou pelo menos não ficou explicito para nós. Como serão os gastos com infraestrutura na região. Para começar inicialmente algumas melhoras terão que serem feita.

Veja as parceiras da NASA para o projeto Moon to Mars4 - Ida do homem a Lua em 2024 poderá sair do Brasil

– Base – Primeiro de tudo tem que haver a construção da base, pois não há nada especifico no local;

– Zona portuária: Não precisa ser algo grande, porém é de suma importância que as embarcações americanas consigam trazer os equipamentos necessários, inclusive, o foguete por exemplo, se vier de navio;

– Ruas: Para que se desloque do aeroporto até a base, ou até mesmo do porto a base. A rodovia tem que ser extremamente bem forte e como um tapete;

– Rede Hoteleira: Ao receber engenheiros, cientistas, especialistas, astrônomos e etc… A rede hoteleira teria que contar com um bom aporte. Sem contar turistas, fotógrafos e curiosos que irão a base a poder prestigiar o lançamento dos foguetes;

– Quilombolas: O governo terá que ver realmente a necessidade e o pedido das pessoas da região. Assim com muitos empregos para brasileiros poderão ser criados.

Veja as parceiras da NASA para o projeto Moon to Mars5 - Ida do homem a Lua em 2024 poderá sair do Brasil

Fotos raras da preparação de Neil Armstrong antes de ir a Lua

Stephen Hawking: “O homem deveria se espalhar pelo Universo”

LEIA TAMBÉM  Estuda afirma que Universo tem formato de "Looping" e "Tudo que vai volta!"