Vida na Lua - Inacreditável! Lua pode ter abrigado vida
Universo

Inacreditável! Lua pode ter abrigado vida

vida na lua

Vida na Lua? Parece que o pessoal da conspiração poderia estar certo, quando dizem que tem muita coisa escondida por lá. Para muitas pessoas um belo indicio foi quando Neil Armstrong estava andando na Lua observou algo estranho.”O que é aquilo?” perguntou ele espantado. E Houston mandou ele seguir o protocolo e caminhar em frente. Outros já não gostam da ideia dos “borrões” feitos nas imagens da superfície lunar. Porém, a ciência afirma categoricamente que a Lua é inabitável atualmente, entretanto, poderia ter havido vida em sua superfície em um passado distante, antes mesmo de nós seres humanos.

8 wsuresearche - Inacreditável! Lua pode ter abrigado vida
Apollo 16 imagem da câmera métrica do limbo leste e do lado da lua. Crédito: NASA

Vida na Lua

Enquanto o mundo virou seus olhos para a possibilidade de encontrar vida em outros lugares no Sistema Solar, como Marte, Europa, Encélado, Titã, ou até mesmo outro Sistemas como a próxima b, por exemplo. Esquecemos da companheira do nosso Planeta água desde muito tempo, o nosso próprio satélite. 

Embora as condições para a Lua abrigar vida atualmente é muito difícil. Ninguém sabe do seu passado. Um grupo de pesquisadores resolveu fazer exatamente isso, pesquisar se seria possível no passado do nosso satélite ele ter tido a possibilidade de vida. Amostras que foram trazidas da Lua e até mesmo sondas que exploram o nosso satélite indicam que ele tem uma quantidade de água razoável, principalmente no seu manto. E essa água no passado da nossa Lua poderia estar na superfície, protegida por um atmosfera e até mesmo por um campo magnético.

Duas vertentes

Os pesquisadores determinaram 2 vertentes para a vida ter existido na Lua de acordo com um estudo publicado na revista Astrobiology por Dirk Schulze-Makuch, um astrobiólogo da Washington State University. Uma logo depois da formação do nosso satélite a cerca de 4 bilhões de anos atrás, e outra, a 3.5 bilhões de anos atrás no período de pico da atividade vulcânica do nosso satélite. Durante os dois períodos, os cientistas planetários acham que a Lua estava expelindo grandes quantidades de gases voláteis superaquecidos, incluindo vapor de água, do seu interior. Schulze-Makuch e Crawford escrevem que essa saída de gás poderia ter formado poças de  na superfície lunar e uma atmosfera densa o suficiente para mantê-la lá por milhões de anos.

9 wsuresearche - Inacreditável! Lua pode ter abrigado vida
Estação Espacial Internacional pode ser visto como um pequeno objeto no canto superior esquerdo desta imagem da lua no início da noite de 04 de janeiro de 2012. Crédito: NASA

Evidências

Os pesquisadores usaram os fósseis de cianobactérias na Terra, que tem entre 3.5 e 3.8 bilhões de anos para explicar a sua ideia. Nessa época o Sistema Solar era dominado por grandes impactos de asteroides com corpos maiores, a vida pode ter vindo parar na Terra dessa maneira, e alguma parte desses seres podem ter chegado até a Lua. Um dos pesquisadores disse que é muito provável que a Lua tenha sido habitada por microrganismos nesse período da sua história. Se isso realmente aconteceu ou não, só uma campanha agressiva de exploração da Lua poderá responder. A ideia é que futuras missões explorem os depósitos vulcânicos mais antigos do nosso satélite atrás dessas bioassinaturas. Além disso, na ISS é possível fazer experimentos de astrobiologia para estudar e entender se os microrganismos sobreviveriam às condições lunares. E aí o que você acha, a nossa Lua pode entrar nesse grupo de satélites naturais que podem ter ou já tiveram vida? 

Em 2009 e 2010, uma equipe internacional de cientistas descobriu centenas de milhões de toneladas de gelo de água na Lua. Além disso, há fortes evidências de uma grande quantidade de água no manto lunar que se acredita ter sido depositada muito cedo na formação da Lua. É provável que o início da Lua tenha sido protegido por um campo magnético que poderia ter formas de vida protegidas na superfície de ventos solares mortais.

“Se a água líquida e uma atmosfera significativa estivessem presentes no início da Lua por longos períodos de tempo, achamos que a superfície lunar teria sido pelo menos temporariamente habitável”, disse Schulze-Makuch.

A vida na Lua poderia ter se originado tanto quanto na Terra, mas o cenário mais provável é que ela teria sido trazida por um meteorito, disse Schulze-Makuch.

Viemos da Lua? Somos extra-terrestres?

 

A evidência mais antiga da vida na Terra vem de cianobactérias fossilizadas que têm entre 3,5 e 3,8 bilhões de anos. Durante esse período, o sistema solar foi dominado por frequentes e gigantescos impactos de meteoritos. É possível que meteoritos contendo organismos simples como cianobactérias possam ter sido expelidos da superfície da Terra e aterrissado na Lua. Ou seja, é uma grande possibilidade que a vida veio realmente de fora.

Vida na Lua - Inacreditável! Lua pode ter abrigado vida

Foto tirada de um vídeo na Internet que “supostamente” seria feito por lunáticos

 

 

“Parece muito que a Lua era habitável neste momento”, disse Schulze-Makuch. “Na verdade, poderia ter havido micróbios prosperando em poças de água na Lua até que a superfície ficou seca e morta.”

 

E você? Acredita nesta possibilidade?

 

Veja a notícia explicada por Sergio Sacani na Space Today: Vida na Lua?

Por Mídia Interessante, com informações: Washington State University, Phys.org, Space Today (vídeo do Youtube).
Dados com referência em uma publicação da revista Astrobiologia img dot - Inacreditável! Lua pode ter abrigado vida 

Mais informações: Dirk Schulze-Makuch et al, Vida na Lua – Existiu uma Janela de Habitabilidade para a Lua da Terra ?, Astrobiologia (2018). DOI: 10.1089 / ast.2018.1844 

Batatas na Lua?

LEIA TAMBÉM  Descobertos mais 12 luas em Júpiter, no total somam 79

LEIA TAMBÉM  NASA lançou missão atrás de asteróide que poderá cair na Terra em 2169

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.